Comercialização: uma variável importante para a hidroponia

Uma das principais perguntas que devem ser feitas e, preferencialmente, respondidas antes da fase orçamentária de um projeto hidropônico é: para quem venderei minhas hortaliças cultivadas em hidroponia?

Não menos importante será a resposta a ser obtida para a seguinte pergunta: como venderei meus produtos? Que têm como características importantes: possuírem valor agregado diferenciado, produtos perecíveis, alto volume de comercializão, dos quais são estocados em um ambiente sujeito a altas temperaturas, falta não programada de energia elétrica e, em alguns casos, displicência da mão de obra.

Pois bem! Esse é o desafio inicial e cotidiano para os hidroponistas que fazem desta técnica uma atividade profissional e de realização pessoal.

Assim, alguns pontos são de extrema relevância a serem debatidos e principalmente seguidos:

Qualidade diferenciada: um produto com qualidade e garantia de métodos que preconizem as boas práticas de produção de alimentos torna-se diferenciado, assim a avaliação continuada destas variáveis é de fundamental importância para a conquista do mercado.

Preço justo: em função do custo de produção avaliado, além da prática de preços condizentes com os que são praticados no mercado, assim como com a tecnologia da qual você se propôs a adquirir para buscar um produto de qualidade superior e de maior valor agregado.

Neste ponto destacamos um dado importante, que é a relação inversa entre oferta de produtos e preços, principalmente quando a demanda não supre a oferta, reduzindo-se o preço do produto e consequentemente ocasionando flutuações inequívocas nos valores praticados no mercado.

Estabelecimento de compromissos profissionais entre o hidroponista e seus compradores: via de regra, pequenos mercados, restaurantes, dentre outros para produções que não ultrapassem os 3000 m2 de área produtiva demandam confiabilidade, assim a análise desta relação,  principalmente nos meses onde o consumo cai, associado ao aumento da oferta de hortaliças oriundas do campo (períodos estes que compreendem aos de baixas temperaturas – inverno) é relevante.

Avaliação do quantitativo de compradores: fornecer para um único comprador, via de regra não é uma opção favorável ao hidroponista, que há de pensar nisso seriamente!

Garantia de entrega: não há muito o que falar neste quesito. É simples e doloroso, falhou demais perdeu o cliente. É regra mercadológica.

Conhecimento das necessidades do seu público alvo: o produtor ao conhecer a demanda de seu mercado, seja ela por hortaliças já estabelecidas, seja ela pela necessidade de buscas de novidades de mercado, terá informações consistentes para a tomada de decisão à que linha de ação seguir.

Investimento em pós colheita: higienização, embalagem, transporte, gondolas e quaisquer variáveis que garantam maior tempo de prateleira do produto.

Investimento em propaganda, posicionamento do produto e no atendimento pós venda, mesmo que seja a partir da contratação de um promotor de vendas que circule nos pontos de vendas divulgando os produtos, vistoriando a reposição das gondolas com o objetivo de reduzir perdas a patamares aceitáveis.

Investimento na capacitação e bem estar dos funcionários. Lembre-se que são eles que fazem a diferença entre qualidade, garantia de entrega, estabelecimento de preço e consequente satisfação do cliente.

Assim fica evidente que não basta somente produzir, tem que saber vender e vender é uma arte que se aprende com muito empenho e aprendizado diário.

Autor: Gláucio da Cruz Genuncio – Dr. em nutrição mineral de plantas

Perfil novo site

Perfil novo site3

Comercialização

Compartilhe este conteúdo