A importância da qualidade da água no manejo nutricional em cultivo hidropônico

O trabalho na água, definição da hidroponia remete a um fator desprezado por muitos ao se implantar um sistema hidropônico. Realizar a análise química da água é fator fundamental para se cultivar hortaliças em hidroponia.

A análise da água tem por objetivo o conhecimento das limitações que possam ser trazidas ao cultivo.  Tais limitações estão em função da melhor escolha da espécie e da variedade a ser utilizada, por exemplo, a até mesmo a inviabilização da área escolhida para a implantação da hidroponia. Percebam aqui que estamos tratando de uma variável qualitativa, porém o conhecimento da capacidade hídrica na propriedade é de fundamental importância na análise técnica do projeto hidropônico. Assim ao diagnosticarmos qualitativamente a água, em função dos resultados da quantidade de elementos presentes na mesma, decisões quanto ao manejo nutricional devem ser adotadas. Em função disto, alguns exemplos serão descritos no texto que segue:

Exemplo 1. A análise de água apresentou os seguintes resultados: pH de 8,5, EC = 0,5mS/cm e concentrações de bicarbonato > que 180 mg/L e Ca > 110 mg/L. Essa água é considerada dura, porém as quantidades de Ca podem ser ajustadas a nutrição da cultura a ser implantada, em função de ajustes no nitrato de cálcio. Por outro lado, o manejo nutricional com o uso deste tipo de água não é tão complexo. Cuidados especiais devem ser tomados com a redução do pH, em função da existência da reação do Ca, com o PO4 adicionado a partir do uso de ácido fosfórico e, formação de fosfato de cálcio, comumente identificado pelo produtor como o pó branco formado logo após a adição do corretor de pH, assim, além da recomendação do uso do ácido fosfórico mais puro, a necessidade da adoção de um manejo de controle do pH com o uso do ácido nítrico.

Exemplo 2. Água contendo pH 5,0, EC de 0,60 mS/cm e, SO4 > 150 mg/L. É uma água problemática, uma vez que possui uma elevada concentração de enxofre. Assim, o uso de filtros específicos para a redução deste elemento é o mais recomendado. Tais águas são bastante observadas em regiões litorâneas e, de modo geral, são observados problemas de toxidez de enxofres em uma ampla variedade de cultivos hidropônicos.

Exemplo 3. Água com pH 6,0, EC de 0,7 mS/cm e, concentrações de Na e Cl elevadas, > que 90 e 155 mg/L, respectivamente. Esta água é bastante problemática por afetar diretamente o crescimento das plantas, devido a redução do crescimento radicular, incidência de queima de borda, favorecido pelo reduzido potencial osmótico da solução e severo desbalanço nutricional entre K/Na. Assim, duas soluções podem ser adotadas nesta situação, uma mais cara e ainda inviável no Brasil, que a implantação de um sistema de osmose reversa e, a mais testada nas situações brasileiras, que é a adoção de espécies e variedades tolerantes a salinidade da solução nutritiva.

A boa notícia para esta situação é a da existência de plantas que apresentam uma tolerância diferenciada a salinidade, tal como a rúcula. Ressalta-se que esta planta vem se tornando modelo para estudos de nutrição mineral e fisiologia vegetal em sistemas hidropônicos com águas com salinidade elevada ou água oriunda de sistemas de dessalinização. Assim, a análise química da água é o primeiro passo para a segurança na implantação de um sistema hidropônico comercial.

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta