Fases de cultivo de alface em sistema de cultivo hidropônico – NFT

Por: Dr. Gláucio da Cruz Genuino, especialista em Nutrição Mineral de plantas.

Umas das principais vantagens comparativas entre os sistemas de cultivos hidropônico e a campo responsáveis pela produção de hortaliças é aproveitamento de área na hidroponia. No entanto, cabe ao produtor monitorar cada fase da produção da alface hidropônica, pois isto é fator fundamental para a obtenção de altas produtividades neste sistema. Cabe ressaltar que as elevadas produtividades de alface relacionadas ao cultivo em hidroponia estão em função do controle das fases de cultivo. Estima-se que o cultivo da alface em sistema hidropônico aumente em cinco a sete ciclos por ano, comparado ao sistema de cultivo convencional. Tal fato é possível pelo aproveitamento de área, associados ao maior controle de irrigação e da adubação (com melhor manejo nutricional) e menor incidência de pragas e doenças.

Exemplificando, um produtor que produz alface em sistema convencional tem como procedimentos: o preparo do solo, com a adoção da calagem (quando necessária) e da adubação objetivando-se a melhoria química e física do solo (adubação orgânica), assim como o preparo dos canteiros (encanteiramento manual ou mecanizado), montagem do sistema de irrigação por gotejamento e a aplicação de mulching para posterior plantio, em espaçamento de 25 cm x 25 cm, via de regra. Todas estas operações têm previsão de execução entre 20 a 30 dias. Após a estas, o cultivo em si pode demandar um período entre 50 a 70 dias, para alface crespa e americana, respectivamente.
Já no momento da colheita, que é manual no Brasil, todo o sistema deve ser retirado e, toda a operação de preparo do solo deve ser recomeçada. Somando todas estas fases do cultivo convencional da alface, a produção pode demandar entre 70 a 100 dias. Todo este processo induz ao produtor a rotacionar áreas para que alcance os cinco a sete ciclos ano de produção de alface crespa e três a quatro ciclos para alface americana.

                                                  
Por outro lado, ao cultivar alface em hidroponia, sistema NFT, o produtor tem como procedimentos básicos, o  preparo a muda na fase de germinação, da qual subdivide-se em fases de escuro (aonde se induz a germinação) que necessita entre 24 e 48 horas e logo em seguida a alface é transferida para a bancada de germinação, onde permanecerá entre 7 a 10 dias para o seu transplante (dependendo das condições microclimáticas). Após aos 8 a 12 dias de fase de produção da muda, a plântula é transferida para a fase intermediária, cuja duração aproxima-se a 8 a 10 dias. Já na fase final, a estimativa de cultivo é a de 22 a 25 dias, para a colheita de uma alface crespa com massa de, aproximadamente, 350 g. Assim, estima-se um ciclo total da alface hidropônica entre 38 a 47 dias.


O importante a se destacar que as fases ocorrem em espaços diferentes, assim, ao se considerar somente a fase final, temos a produção de alface com tempo entre 22 a 25 dias e, consequentemente, têm-se 12 a 14 ciclos  por ano e, isto sem todos os procedimentos de preparo do solo e plantio necessários para a produção de uma alface em sistema de cultivo convencional.


Assim, uma das principais explicações quanto às elevadas produtividades da alface hidropônica é a eficiência no uso da área de cultivo, com ergometria de trabalho, maior eficiência do uso da água e de fertilizantes, menor contaminação ambiental, menores perdas produtivas (estima-se uma perda de 15% a 20% entre as fases de germinação e intermediário) e, principalmente, melhor controle das variáveis produtivas.

Solicite seu projeto completo gratuitamente AQUI

Linhas de crédito da Hidrogood

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta