Aminoácidos no auxílio no controle de doenças radiculares em hidroponia

Uma das principais preocupações do produtor hidropônico é encontrar problemas no sistema radicular de hortaliças folhosas. Por isso, esta edição do Hidrogood News tem como objetivo debater a aplicação de aminoácidos no auxílio preventivo de doenças radiculares.

De modo geral, a morte das raízes está diretamente associada às temperaturas elevadas da solução nutritiva (acima de 31 oC).

A partir de um dano físico às raízes causado pelo calor excessivo, a entrada de fungos oportunistas como a fusariose e o pythium é significativamente favorecida em sistemas hidropônicos localizados nas regiões mais quentes do Brasil. 

Para a redução do estresse ocasionado por temperaturas altas na hidroponia – tanto na estufa quanto nas calhas do sistema hidropônico -, há a recomendação de uso de indutores de crescimento de raízes (aminoácidos e substâncias húmicas como o ácido fúlvico)

Esses compostos possuem propriedades que atuam de maneira preventiva na manutenção de um saudável sistema radicular. 

Conceitualmente, os aminoácidos podem desempenhar diferentes funções nas plantas, podendo atuar tanto como agentes redutores de estresse, quanto como precursores hormonais, além de servirem como fonte de nitrogênio às plantas.

No contexto específico abordado nesta edição, os aminoácidos (lisina, glutamato, cisteína e histidina), favorecem o crescimento das raízes por melhorarem a absorção de elementos. Entre eles, estão principalmente os microelementos catiônicos (Fe, Cu, Mn e Zn).

Em função da formação de complexos denominados quelatos, eles induzem a planta a sintetizar hormônios vegetais, como a auxina, que tem como papel fisiológico fundamental o de estimular o crescimento radicular.

Esta estimulação, cabe ressaltar, é importante para reduzir os danos causados pelo Pythium no sistema radicular, por exemplo.

Outras funções atribuídas ao uso de aminoácidos na solução nutritiva elencadas são:

  • O aumento da absorção de nutrientes pelas raízes, por ativar mecanismos de transportes específicos das plantas (bombas de prótons).
  • O de favorecer o aumento de clorofila. 

Estes incrementos têm como resposta prática o aumento do crescimento e desenvolvimento das plantas (maior produção e produtividade). Uma relação direta no encurtamento do ciclo, maior número de folhas, estabelecimento da planta em diferentes situações microclimáticas.

Ressalta-se ainda que, pesquisas já comprovaram uma melhoria na absorção de potássio, cálcio, magnésio, fósforo e ferro no cultivo hidropônico tanto de tomate e pepino quando cultivadas em solução nutritiva contendo aminoácidos, como melhoria significativa no manejo nutricional destas culturas.

Espero que vocês tenham gostado desta edição do Hidrogood News e até a próxima.

Por Dr. Gláucio da Cruz Genuncio, especialista em Nutrição Mineral de plantas.

Gostou desse conteúdo? Confira as ultimas edições do Hidrogood News: