Hidrogood News: A eficiência no uso de água confere sustentabilidade ao sistema hidropônico

Por: Dr. Gláucio da Cruz Genuino, especialista em Nutrição Mineral de plantas.

O uso eficiente da água, que é um recurso natural limitado e determinante para o estabelecimento da vida no planeta, é um assunto antigo, que fez surgir e ruir impérios no passado, porém torna-se um assunto preponderante para a civilização moderna, em função de sua escassez e de seu potencial estratégico ao nível econômico e social.

        

A denominação água é de uso geral, porém, ocorrem subdivisões importantes, que classificam a água em tipos e aplicações. Assim,  pode-se destacar que a água salgada (elevadas concentrações de cloreto de sódio) é oriunda dos mares e oceanos e, sua somatória corresponde a 97,5% do total de água do planeta. Por outro lado, a água doce (fonte que rege a vida no planeta) está presente em rios, lagos e geleiras e, corresponde a apenas 2,5% do total de água do planeta. Cabe ressaltar que a água sólida (geleira) corresponde a 67,5% dos 2,5 % da totalidade da água doce do planeta. Por outro lado, 30% da água doce encontra-se nas camadas subsuperficiais, classificadas como água subterrânea: contidas em regiões denominadas aquíferos (dos quais ultimamente não estão sendo bem cuidados pelo homem, haja visto a situação do aquífero guarani.

Por outro lado, a oriunda de rios, lagos de água doce e riachos correspondem a um valor menor que 0,4% da totalidade da água doce do planeta e, é desta água que tiramos 70% do consumo humano, que é direcionado para a irrigação. Somando-se a toda está problemática restritiva, pode-se destacar que sistemas de irrigação via pivô-central, canhão e aspersão possuem perdas que podem chegar a 30% de toda a água disponível para o cultivo de vegetais. Em específico, para a horticultura, que é o nosso interesse, estas perdas podem chegar a 40% quando se é utilizado o sistema de aspersão, sem o manejo e controle adequados de irrigação.

Em contrapartida, quando utilizamos o sistema NFT para o cultivo de hortaliças como de alface e rúcula (hortaliças folhosas) e tomate e pimentão (hortaliças de frutos), estima-se uma redução do uso da água entre 2 a 5 vezes menor quando comparada aos demais sistemas de cultivo.

     

Assim, dados obtidos em pesquisas conduzidas a campo indicam que ao se plantar alface em sistema convencional ou orgânico, o consumo da água no cultivo desta espécie pode chegar aos valores exorbitantes de 1,5 a 2,0 L planta-1 dia-1, sendo conduzidas 80.000 a 120.000 plantas ha-1. Por outro lado, para esta mesma quantidade de plantas e ciclo aproximado de 40 dias, estima-se um consumo de água próximo a 0,2 a 0,4 L em sistema de cultivo hidropônico NFT, o que confere ao hidroponista uma característica referente ao sistema muito interessante. É um sistema sustentável por se apresentar eficiente no uso da água para o cultivo de hortaliças. Nesta linha de raciocínio, alguns produtores receberam selos internacionais que conferem a sustentabilidade, que em função disto estres mesmos produtores vêm conseguindo agregar valor ao produto e a aportarem recursos junto as entidades como a FAO.

Espero que este Hidrogood News faça com que você reflita sobre a importância do uso eficiente da água não somente na produção de vegetais, mas para o seu cotidiano. Até o próximo manuscrito.

Gostou deste artigo? Separamos alguns que certamente irão lhe interessar:

Solicite seu projeto completo gratuitamente AQUI      

Linhas de crédito da Hidrogood

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta