A importância da limpeza dos perfis hidropônicos

Atualmente, a inovação tecnológica tornou-se uma das principais aliadas ao avanço do profissionalismo no cultivo hidropônico e, por consequência, a aplicação de tecnologia voltada para a redução dos efeitos negativos da radiação solar incidente nos perfis, de forma direta, tornou-se uma realidade aliada ao cultivo de hortaliças.

                         

É sabido que a solução nutritiva não deve aquecer a temperaturas superiores a 30º C devido à redução da oxigenação e, consequentemente, morte do sistema radicular, assim como a presença de algas no sistema possibilitará a formação de um ambiente favorável à proliferação de doenças e pragas, tais como fusarium, pythium e Fungus gnats, respectivamente.

Assim, torna-se de fundamental importância a avaliação do custo benefício na aquisição de perfis cujos tratamentos com aditivos preconizem o controle dos fatores citados anteriormente. Um perfil cujo tratamento tenha por objetivo a redução do aquecimento e, por não ser translúcido (deixar a “luz” passar, como no cultivo em perfis ou tubos não específicos para Hidroponia), tornou-se a principal ferramenta de controle do aquecimento e da formação de algas no sistema.

                          

A utilização de perfis coextrusados, associada à declividade da bancada entre 8 e 10% e a lavagem constante da bancada (a cada colheita), utilizando-se como produtos de desinfecção o dióxido de cloro e o ozônio é, na atualidade, um dos principais manejos fitossanitários a serem adotados na solução nutritiva, da qual é disposta às hortaliças em sistema de cultivo hidropônico.

Resultados otimistas e promissores têm sido constatados por produtores localizados em regiões mais quentes no Brasil, porém e por se tratar de um País tropical, a adoção desta tecnologia, aliada ao conhecimento técnico de montagem das bancadas e limpeza constante das mesmas são variáveis a serem adotadas por quaisquer produtores hidropônicos que busquem qualidade e redução de problemas fitossanitários.

                        

Ressalta-se ainda a necessidade da eliminação de restos culturais, tais como raízes no interior dos perfis e folhas aderidas na superfície externa das bancadas, pois este material orgânico acumulado funcionará como o agente principal na proliferação de doenças e pragas que, ao se instalarem no sistema darão “muita dor de cabeça aos hidroponistas”.

Assim, fica a dica de fundamental importância: o investimento em tecnologia de perfil com tecnologia, associada a uma rotina de limpeza é um manejo indispensável ao produtor que preza por qualidade de produção e pela ausência de sazonalidade; fatores importantíssimos e garantidores de comercialização e do retorno financeiro.

Gostou deste conteúdo? Separamos alguns que com certeza irão lhe interessar:

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta