Hidrogood News: Sazonalidade na hidroponia – Uma vantagem a ser observada

Por: Dr. Gláucio da Cruz Genuino, especialista em Nutrição Mineral de plantas.

Uma das principais vantagens que justificam a implantação de um projeto hidropônico de hortaliças, aromáticas e ornamentais é a possibilidade da produção o ano inteiro, independentemente da chuva, da geada, do granizo, do excesso de vento, da insolação e da garantia de uma reduzida aplicação de defensivos, visando o eficaz controle fitossanitário, principalmente quando existe na produção manejo apropriado quanto ao monitoramento e controle de pragas e doenças.

Somando todos estes fatores ainda existe a possibilidade de melhorias significativas da qualidade do produto tanto em aspecto produtividade, em termos de ganho de massa e quantidade de ciclos (este inclusive é o grande segredo de se produzir alface hidropônica, uma vez que o produtor pode conseguir até 14 ciclos no ano, enquanto que o produtor convencional consegue, no máximo, sete ciclos), quanto em durabilidade pós-colheita e melhoria nas condições organolépticas dos produtos (teor de sólidos solúveis totais, pH e acidez titulável de frutos, por exemplo).


Por outro lado, tornar-se evidente nos dias atuais que o crescimento e desenvolvimento da hidroponia no Brasil vêm afetando, em certas épocas do ano, a comercialização de alguns tipos de produtos, uma vez que o mesmo apresenta-se “saturado” no mercado. Ou seja, para alguns produtores e para algumas regiões específicas, comercializar alface hidropônica no inverno é sinônimo de lucro reduzido.

Mas qual é a explicação para tal fato recorrente? E qual seria um bom caminho a ser seguido para a solução deste problema comercial?

O primeiro ponto a ser observado é que alface é o “carro chefe da hidroponia de folhosas” no Brasil, então é muito complicado não produzir esta cultura. Isto é fato! Em função disto e devido às condições favoráveis de produção da alface convencional nos cinturões verdes, a produção se eleva tanto quantitativamente quanto qualitativamente e, por um ajuste de mercado, o valor unitário despenca (da alface de modo geral, independentemente do sistema de cultivo), fora que o consumo cai também, pois estamos no inverno é isso é um fator favorecedor a queda.

Assim, uma das justificativas das dificuldades de comercialização da alface no período compreendido entre abril a agosto esta em função da frase que ouço muito: “o mercado esta inundado de alface do chão”. Enfim, esta é a explicação: a sazonalidade da alface convencional afeta diretamente a comercialização da alface hidropônica. Somando-se a isto, em alguns locais, a produção de alface hidropônica está com concorrência acirrada com uma tendência de redução de preço no mercado e, somando-se a um reduzido consumo, existe a tendência de sobrar alface neste cenário um tanto competitivo.

Assim, qual seria a premissa básica de qualquer empresário frente a um cenário deste? Se diferenciar! Mas para se tornar diferente ou diferenciado, o produtor/empresário/empreendedor tem que ter planejamento mercadológico. Com isso, a busca de respostas a algumas perguntas tornam-se relevantemente importantes, tais como: por que se diferenciar? (já sabemos), quando se diferenciar? (também já sabemos), onde e como se diferenciar? (vamos lá).

Focar no onde e como se diferenciar se torna fundamental nesta situação e, para que algumas questões sejam respondidas o conhecimento de algumas variáveis é importantíssimo para a obtenção de um resultado comercial satisfatório, assim perguntemo-nos: o seu público alvo é consumidor de novidades? (pode ser consumidor final ou atacadista, por exemplo). Ele está disposto a experimentar? Ele esta disposto a pagar? Ele te apoia? Quando devo começar a plantar e lançar os produtos? Tenho área suficiente? Qual é o volume a ser produzido? Qual é o valor a ser comercializado? Qual será o meu custo de produção? O meu sistema é adequado ou adaptável? Tenho capital de giro para isto? Minha capacidade produtiva será afetada para os demais produtos ofertados da minha lista? Meus sócios vão me apoiar (esta pergunta é bem interessante, pois você perceberá que sua empresa hidropônica tem subdivisões entre produção, comercialização e marketing que por vezes não foi percebida ainda, pois tudo esta centralizado em uma única pessoa).

Responder essas dentre outras perguntas (que sem sombra de dúvidas surgirão) é um caminho que pode te levar ao sucesso nesta empreitada.

Uma experiência interessante que compartilharei com vocês: recentemente fomos a Almeria e fiquei muito surpreendido com a produção de alface Iceberg (Americana/Romana) na região. Os produtores plantam talhões identificados por semana e, possuem em seu portfólio mais de 40 variedades de alface.

Neste contexto e, desejando a vocês uma ótima pesquisa de mercado, com a ampliação do relacionamento com o seu consumidor para que a diferenciação torne-se cada vez mais a solução dos problemas de comercialização recorrentes na produção hidropônica nos meses de abril a agosto, despeço-me com um forte abraço e, até o próximo Hidrogood News!

Gostou deste artigo? Separamos alguns que certamente irão lhe interessar:

Deixe uma resposta