Métodos alternativos de controle de pragas e doenças

O cultivo hidropônico, assim como qualquer outro, tem seus desafios. A baixa ocorrência de pragas e doenças é uma das muitas vantagens da hidroponia, porém é preciso ter alguns cuidados para prevenir o aparecimento de patógenos. Mesmo a técnica não fazendo uso do solo, que é onde encontra-se a maioria dos vetores, existem fungos e bactérias que dependem da água para se proliferarem e desenvolverem, assim, acabam encontrando um ambiente favorável no sistema hidropônico. Apesar disso, a detecção e controle de pragas é muito mais eficiente que em qualquer outra técnica agrícola.

O uso de inseticidas

Os inseticidas caseiros contam com ingredientes como extratos de plantas, óleos essenciais, caldas, óleos minerais, entre outros e, apesar de terem uma ação em um curto período de tempo, possuem uma alta taxa de toxicidade tanto para o homem quanto para animais, então deve-se ter muito cuidado durante a sua preparação e aplicação. Além disso, causam resistência em alguns insetos e eliminam insetos benéficos, como as abelhas e, quando utilizados em ambientes fechados, podem ter efeito fumigante.

Alguns exemplos são: Calda de fumo de rolo, que contém nicotina (um alcalóide que se obtém do fumo) e Nim, uma planta originária do Sul da Ásia que possui vários ingredientes ativos, como a azadiractina, e podem ser usados contra pulgões, lagartas pequenas, moscas-brancas, entre outros. A Calda Bordalesa, resultado da reação entre o sulfato de cobre (CuSO4.5H2O) e a cal virgem (CaO), é um fungicida que atua como repelente contra alguns insetos e também como adubo foliar. Já os Óleos Minerais, que são os que possuem a menor taxa de perigo à saúde humana, matam os insetos e ácaros por asfixia e inapta os insetos e ácaros de desenvolverem resistência.

Todos esses métodos, apesar de serem razoavelmente fáceis de se preparar, possuem uma alta taxa de toxicidade, como dito anteriormente. Por isso seus preparos e aplicações devem ser efetuados com equipamento de proteção individual para evitar problemas à saúde e a pós-higienização deve ser bem feita.

Métodos ecológicos

Por outro lado, existem alguns métodos ecológicos e naturais que os agricultores podem adotar para fazer o controle em suas plantações e que facilmente substituem os inseticidas. Um deles é o uso de insetos inimigos naturais da praga que se instalou na plantação. Esse método visa controlar e regular a população de pragas através da liberação de inimigos naturais, ou seja, predadores, parasitóides e patógenos. É claro que o sucesso desse método depende de alguns fatores, como a escolha e o momento correto da liberação do agente de controle biológico e da manutenção de condições adequadas à atuação e a permanência deles em campo. Por exemplo, o fungo Pythium spp é muito comum em cultivos hidropônicos e causam a podridão da raiz. Para controlar esse tipo de fungo pode-se fazer uso do fungo Trichoderma spp.

Outro tipo de controle é o cultural, que é nada mais que a eliminação de frutas, folhas ou plantas doentes. 

O uso de armadilhas, em algumas situações, é a melhor saída. Pode se instalar as armadilhas luminosas, que emitem luz para atrair insetos voadores de hábito noturno bem como as adesivas coloridas, que são alguns adesivos onde os insetos ficam presos ao pousarem. As de cor amarela são atrativas para a mosca-branca, minadora, pulgão, fungus gnat, cigarrinha, vaquinha e diversos outros insetos de vôo fraco enquanto que as de cor azul são atrativas para o monitoramento e captura de Trips.

Por último, mas não menos importante, temos o uso de feromônios, que são as substâncias que os insetos usam em sua comunicação com outros insetos da mesma espécie. Além de ser um método racional e seguro, dispensa o uso de qualquer defensivo químico, não afeta outros organismos que não sejam o alvo do feromônio, não são tóxicos e não entram em contato direto com a cultura. O objetivo desse método é de monitorar insetos-pragas através de técnicas como coleta massal, atrai-e-mata ou confusão sexual.

Existem diversos métodos ecológicos que podem ser usados para controlar pragas e doenças em cultivos hidropônicos. O objetivo deles é evitar ao mínimo o uso de defensivos químicos nas culturas, afinal, a maior parte deles é tóxica e prejudicial à saúde e, se não usados corretamente, podem acabar prejudicando também quem se alimentar das culturas cultivadas.

Em hidroponia temos a vantagem de usar algumas telas em estufas que barram a entrada de insetos-pragas, como a Chromatinet Raschel. Ela diminui a passagem dos raios ultravioletas, consequentemente diminuindo a ocorrência de insetos, pois eles são orientados por esse espectro de radiação. Desse modo a tela torna o ambiente menos visível aos insetos. Caso tenha interesse,a Hidrogood disponibiliza projetos totalmente gratuitos, feitos na medida em que o cliente deseja, solicite um orçamento.

Gostou desse conteúdo? Separamos outros que certamente irão lhe interessar