Saiba quais são os principais materiais usados em um cultivo hidropônico

A hidroponia, o cultivo de vegetais sem o uso do solo, vem ganhando adeptos no mundo todo e, dentre tantas vantagens, uma que se destaca é a redução do consumo de água. Segundo a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil) a técnica reduz o consumo em até 50 a 70% se comparada ao sistema convencional.

Sabe-se que existem vários tipos de sistema para o cultivo hidropônico, como por exemplo, o Sistema NFT um dos mais utilizados em hidroponia. Uma de suas vantagens é a produção de produtos frescos livres de pragas e doenças, já que as plantas podem ficar em um ambiente controlado e protegido, além do fácil manuseio e a maior durabilidade do produto na prateleira, já que foi cultivado com menos defensivos agrícolas.

Sendo assim, a hidroponia surpreende não só por sua produtividade, pois rende o dobro de hortaliças em relação ao plantio convencional, mas também por ser possível de ser feita em diferentes tipos de locais, já que existem sistemas projetados voltados para pequenos espaços. Todavia, antes de dar o pontapé inicial é necessário estar a par de todo o material utilizado no sistema para que nenhuma falha seja cometida durante o processo.

O cultivo em ambiente protegido exige que o produtor tenha uma estufa agrícola, pois ela oferece uma possibilidade maior de se adequar às variações de clima e protege a plantação. A estrutura da estufa agrícola é composta por aço, por isso é importante conhecer o tipo do material a ser utilizado nos projetos das estufas. O mais comum é o aço galvanizado à fogo, porém ainda existem estufas fabricadas com madeira e outros materiais que demandam manutenção constante e acabam acarretando em problemas para o cultivo. As estruturas de aço possuem um período de vida útil prolongado e, também devido à baixa manutenção, se destacam quanto a relação custo-beneficio. Já os filmes plásticos que são aplicados nas estufas têm a finalidade de proporcionar melhores condições, tanto para o cultivo quanto para a vida útil do material utilizado na estrutura.

O Canal do Cultivo é onde as raízes se desenvolvem. O mais recomendado são os perfis feitos de polipropileno, material indicado pela Anvisa para estar em contato com alimentos, e em dupla face: branco na parte superior e lateral e grafite no corpo, evitando a entrada de luz diminuindo o aquecimento do perfil, mantendo a temperatura da solução nutritiva e, consequentemente, a oxigenação, possibilitando às plantas um efetivo e saudável crescimento juntamente com uma boa Solução Nutritiva, já que os vegetais não ficam no solo, não tendo acesso aos nutrientes da terra que os ajudam a se desenvolverem. Deste modo, nutre-se a água para suprir as necessidades delas. É importante manter a solução sempre ao abrigo da luz, para evitar o desenvolvimento de algas.

Para que a solução nutritiva seja transportada até os canais de cultivo e entre em contato com a raízes é necessário que a Bomba esteja bem controlada, seja com um Temporizador ou timer, pois o fluxo de nutrientes não precisa ser constante. O mais comum é a bomba funcionar em períodos de 15 minutos.

A fim de ter um sistema hidropônico efetivo é necessário fazer a manutenção do sistema constantemente. Fatores como a temperatura e reposição da solução, o PH, a condutividade elétrica e o nível de oxigênio são de extrema importância para que a solução nutritiva fique adequada, pois é através da qualidade dela que se garante o desenvolvimento pleno e saudável dos produtos. Além disso, manter a limpeza do reservatório, verificar se o timer e a bomba estão programados e funcionando corretamente e a qualidade das sementes que serão utilizadas no processo de cultivo são fatores essenciais para uma horta caseira de qualidade.

Uma opção para quem não quer começar diretamente com a implementação de uma estufa é o Sistema Hidropônico Caseiro da Hidrogood. Ele permite o cultivo de 14 a 20 plantas por mês e pode ser utilizado tanto para alface, agrião, rúcula, como cebolinha, coentro, salsa e muitas outras folhosas. As sementes utilizadas são as mesmas que no cultivo tradicional e o tempo de cultivo varia de acordo com o tipo de cultura, o alface, por exemplo, leva em média de 40 a 50 dias para a colheita.

Gostou desse conteúdo? Separamos outros que certamente irão lhe interessar!

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta