Hidrogood News: Consumo de hortaliças hidropônicas em tempos de COVID-19

Por: Dr. Gláucio da Cruz Genuncio, especialista em Nutrição Mineral de plantas.

Um dos principais desafios neste período de possível exposição ao Sars-CoV-2 (ou novo Coronavírus) é a busca de um equilíbrio mental (saúde mental), assim como a busca de uma resistência corporal; o que é importante ressaltar, não alcançável apenas a partir de uma prática rotineira de exercícios físicos, pois a alimentação saudável configura-se também como um fator associado a esta resistência.

Refletindo sobre este complexo tema proposto e, diante do nosso papel de promover informação em nossas edições do Hidrogood News, o consumo de hortaliças amplamente produzidas em hidroponia foi fato importante para a minha motivação da escrita desta edição em específico. 

A partir desta motivação inicial, veio à minha memória efetiva as conversas com a minha saudosa mãe sobre alimentação regrada e saudável, praticada por ela por muitos e muitos anos, principalmente nos últimos dez anos que se manteve em tratamento de uma leucemia crônica, que obviamente, possuía também um acompanhamento médico no INCA, com a utilização de remédios devidamente prescritos para tal. Entretanto, o convívio com os diversos chás, infusões e alimentação regrada com diversos tipos de hortaliças, legumes, frutas era rotineiro em nossa convivência.

Diante desta afirmação, cabe um parêntese: Em momento algum objetivamos afirmar e, nem tão pouco, recomendar que a alimentação, além da prática de exercícios são fatores que substituirão terapias médicas validadas pelo estudo da patologia humana.

Dito isto, e retornando ao tema: Alimentação equilibrada em tempos atuais, algumas questões me induziram a dedicação de algumas horas a pesquisa sobre a ação de hortaliças hidropônicas (ou não) em um possível aumento na resistência de doenças como: hipertensão, diabetes, enfisema pulmonar, sepse, bronquite, tosse, falta de ar, pneumonia, acidente vascular cerebral e demais problemas que são relacionados ao Sars-CoV-2. Cabe aqui outra informação importante: Parte significativa de minha leitura foi baseada em informações de base empírica, assim como outra parte em artigos científicos

Pois bem, com todas as ressalvas e cuidados que pressupõe a este texto, cujo intuito é o de evitar interpretações errôneas quanto a tratamentos substitutivos de vacinas, por exemplo, tive uma agradável resposta sobre o seguinte questionamento: Na situação atual quais as hortaliças hidropônicas deveríamos focar para um maior consumo? 

Assim, posso afirmar que o campeão de citações é o agrião, consumido na forma de chá, infusões, xaropes, in natura ou até mesmo – e porque não – juntamente com carne e batata. Já a segunda hortaliça mais citada foi a couve, seguida da abóbora (infusão de sementes, bastante citada), além do consumo frequente da alface, do espinafre, da acelga, da associação de tomate + salsa, do aipo e da alcachofra. Para aromáticas, tive a agradável surpresa da recomendação do consumo de hortelã e alecrim, na forma de infusão (2 x ao dia).

Diante do exposto, dei-me por satisfeito o tempo investido de leitura e pesquisa e afirmo que isto me possibilitou a um momento especial de lembrança das inúmeras conversas que tive com a minha mãe sobre a alimentação focada na prevenção de certas enfermidades e, pude chegar à seguinte conclusão deste Hidrogood News: Não sei quanto a vocês, mas diante do exposto, as hortaliças supracitadas farão parte da minha dieta de forma mais frequente nos dias atuais e, provavelmente, no período pós pandemia.

Espero que este informativo consiga exercer um papel importante em suas vidas, caros leitores, e prometo que no próximo me dedicarei a falar um pouco de PANCs ou melhor, consumo de Plantas Alimentícias Não Convencionais no papel da alimentação humana.

Forte abraço a todos e até o próximo Hidrogood News.

Gostou das dicas? Separamos outros conteúdos que podem te interessar:
Compartilhe este conteúdo