É mesmo necessário possuir uma estufa agrícola?

As estufas agrícolas foram desenvolvidas na Europa como uma solução para enfrentar o inverno rigoroso. Hoje em dia a produção dentro de estufas é uma prática conhecida e difundida em diversos países de agricultura desenvolvida, como o Brasil.

Proteção 

Na hidroponia, essas estruturas além de proteger os cultivares das oscilações climáticas e minimizarem os efeitos da incidência solar, evitam os danos nas plantações causadas pelas chuvas e ventos fortes, também evitando pragas e doenças provenientes do solo. Um exemplo é o cultivo hidropônico NFT, pois já que suas raízes crescem dentro do perfil com a solução nutritiva, isso elimina o contato com muitos patógenos. E, caso alguma doença ou praga ocorra, a forma de eliminar é muito mais prática, rápida e efetiva do que em cultivo convencional de solo.

Adequação do clima

Outra vantagem das estufas é que elas permitem a criação de um microambiente com com condições de temperatura, umidade e luminosidade ideais para cada tipo de cultivo. Esse controle no interior das estruturas gera uma série de benefícios tanto para o produtor quanto ao consumidor final dos produtos, pois uma vez que o produtor não é mais refém da sazonalidade, pode cultivar e colher fora de época. Além disso, é possível cultivar em regiões que, naturalmente, não proporcionam condições adequadas.

E já que no setor de hortaliças e frutas, além da qualidade do produto, existe a preocupação quanto à cor, sabor, cheiro, textura e outras características visuais, é extremamente importante que as culturas recebam as condições ideais para se desenvolverem. Com a possibilidade de adequação do clima, além de potencializar ao máximo o desempenho das plantas, é possível aumentar a produtividade e, consequentemente, a lucratividade.

Impacto ambiental

Por usar recursos de modo racional e fazer o mínimo uso possível de agrotóxicos, a produção tende a ser mais limpa e sustentável. A hidroponia economiza cerca de 50% a 70% de água disponibilizada às plantas, uma vez que as taxas de evaporação, escoamento superficial e percolação são significativamente reduzidas e, por gerar uma menor quantidade de resíduos, o manejo é facilitado. Outra vantagem é a redução de custos, tanto econômicos quanto ambientais, já que as estufas podem ser instaladas próximas a centros urbanos.

Material de fabricação 

Um dos pontos principais que precisam ser avaliados em relação a estufas é o tipo de material em que ela é fabricada, pois o aço é parte fundamental para a sua estrutura. O mais utilizado nos projetos é o aço galvanizado à fogo, mas existem, também, estufas fabricadas com madeira e outros materiais sem tratamento adequado, que demandam manutenção constante e acabam prejudicando o cultivo. 

As estruturas de metal são as que possuem período de vida mais prolongado e a estrutura de aço galvanizado é a que mais se destaca, pois possui baixa manutenção e período de vida útil prolongado, em torno de 15 a 20 anos, ou seja, um ótimo custo-benefício.

Esse tipo de aço passa por um processo chamado galvanização, onde o aço é revestido com uma camada fina de zinco para impedir a corrosão. Esse zinco pode ser aplicado através de um banho de imersão quente ou através da eletrogalvanização. Por ser altamente resistente à corrosão, grande parte dos eletrodomésticos são fabricados com ele, além de ser utilizado na parte estrutural das construções de casas, na fabricação de veículos pesados e automóveis.

Modelos de estufas 

A Hidrogood possui, no momento, 4 tipos de estufas. Devido a todas as vantagens do aço galvanizado à fogo, todos os modelos são fabricados a partir dele em formato oblongo e podem ser montadas tanto sobre os pés em aço galvanizado, fornecidos pela própria Hidrogood, quanto em mourões de eucalipto tratado que o agricultor adquire em sua região. Entenda um pouco sobre cada uma:

Estufa Standard

Possui fácil instalação (o próprio produtor pode montar) e custo bastante reduzido, além de possuir calhas de alumínio e sistema de travamento completo. Oferecemos para esse modelo pé direito de 3 ou 4 metros, largura de 7 ou 8 metros e comprimento modular de 3 metros.

Estufa Reforçada

Esse tipo é indicado para regiões de ventos fortes e tempestades. Assim como a standard possui arcos em formato oblongo galvanizados, porém é composta por uma travessa horizontal, travada por duas mãos francesas, fixada no meio da curvatura de todos os arcos para reforçar a estrutura. É possível obter esse modelo com pé direito de 3, 4 ou 5 metros, largura de 7 ou 8 metros e comprimento modular de 3 metros.

Estufa Shed com Saída de Ar

Também possui as mesmas especificações dos modelos acima, porém possui uma saída de ar com vão de 60 cm, perfeita para regiões de clima quente. Pode ser fabricada com ou sem reforço. 

Estufa Treliçada

Este modelo possui um vão livre de 10 metros de largura com objetivo de proporcionar melhor aproveitando do espaço interno. Possui treliças internas que unem um pé ao outro e reforços verticais que suportam os arcos garantindo maior segurança à estrutura. 

Os pés centrais são enrijecidos e as estruturas internas reforçadas, trabalhando como uma tesoura de telhado, ligando o arco à uma treliça. Essa estufa é toda estruturada com tubo oblongo, pés laterais fixos e duplos pés centrais, tanto na frente quanto no fundo da instalação. Oferecemos pé direito de 3, 4 ou 5 metros de altura e comprimento modular de 3 ou 4 metros.

Qual estufa escolher?

Assim como não se utiliza um automóvel de luxo para levar sua produção ao cliente, não há necessidade de uma estufa muito sofisticada, pois o que importa é a qualidade, resistência e durabilidade, além de atender ao requisito básico de não criar bolsão de ar quente. Por isso a Hidrogood desenvolveu estufas adequadas à produção hidropônica, seja no preço,  seja na qualidade, durabilidade e resistência. 

É claro que a orientação leste-oeste do sentido longitudinal é a desejada na instalação da estufa, mas não necessariamente uma condição imprescindível (o custo-benefício pode levar à decisão), pois é mais importante a orientação em função do vento predominante para melhor ventilação e menor resistência a ventos fortes. O filme plástico deve ser transparente para permitir plena insolação no interior da estrutura. A Hidrogood trabalha com filmes transparentes e difusores.

Também recomendamos que o comprimento não exceda 51m, nem tanto por uma imposição técnica, mas por uma questão de circulação das pessoas e do ar. Além disso, é preferível ter várias estufas separadas, à ter uma grande área geminada, pela mesma razão.

Uma das vantagens cruciais da estufa é que com ela elimina-se a perda de produção com que o cultivo de solo sofre com as chuvas e geadas, dando ao produtor uma grande vantagem na hora de negociar: a certeza da entrega no prazo. 

Um outro aspecto bastante importante a considerar é que a área interna seja aproveitada ao máximo, com o máximo de cultivo e o mínimo de corredores e áreas livres. Pensando nisso desenvolvemos o Sistema HPM. Ele foi projetado para ter um número maior de plantas na mesma área e mais agilidade no manejo, o que consequentemente, acaba elevando a produção.

Agora que você já conhece um pouco melhor sobre as nossas estufas, pode solicitar o seu projeto totalmente gratuito, nossos especialistas te ajudam a escolher a estufa ideal para a sua produção hidropônica de acordo com a sua região, tipo de cultura, quantidade de investimento e outros fatores importantes.

Gostou deste artigo? Separamos alguns que certamente irão lhe interessar:

Compartilhe este conteúdo